Figueirense tem defesa e ataque fracos. Goleiro é seu único trunfo

O Figueirense perdeu do Grêmio por 1 a 0 na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro 2015. Com apenas um ponto em três rodadas, o time não tem apresentado qualidades suficientes para sair dessa situação. O ataque e a defesa são fracos. O único trunfo do time tem sido o ótimo goleiro Alex Muralha.

4-4-2 em linha no primeiro tempo contra o Grêmio


O Figueirense atua no 4-4-2 em linha. Assim foi contra o Vasco e contra o Grêmio, durante o primeiro tempo. No segundo tempo contra o time gaúcho, o técnico Argel Fucks adotou o 4-3-1-2. O Esquemas Táticos não acompanhou a partida contra o Sport.

4-3-1-2 no segundo tempo contra o Grêmio


O problema é que o Figueirense não apresenta uma defesa sólida e tampouco um ataque eficiente. São cinco gols contra e apenas um gol a favor. O empate contra o Vasco em 0 a 0 deu a impressão que o time havia acertado a defesa depois do 4 a 1 contra o Sport. Engano. O Vasco é um time pouco eficiente no ataque. O placar magro contra o Grêmio poderia indicar o mesmo. Novo engano. Na análise que fizemos sobre o Grêmio, mostramos que o time até finaliza muito, mas tem pouca qualidade técnica para efetivar as chances que cria.

No jogo contra o Grêmio, o Figueirense desarmou 41 vezes. É o time que mais desarma no Brasileiro 2015, com 82 ao todo. O desarme, normalmente, gera um contra-ataque, que é uma das melhores situações para um time marcar gols. Entretanto, o Figueirense pouco ameaçou o Grêmio e deu apenas quatro chutes a gol. Só um certo! O time desarma bem (número inflado pela partida contra o Grêmio, onde o time conseguiu metade de todos os desarmes realizados até aqui no campeonato), mas o que faz com isso?

Destaque para o goleiro Alex, uma verdadeira Muralha. O jogador tem livrado o Figueirense de levar mais gols. Contra Vasco e Grêmio, foi o melhor em campo. E tem apenas 25 anos. Grande futuro pela frente.

4-4-2 em linha no jogo contra o Vasco


O sistema tático não está ajudando. O 4-4-2 em linha não é o mais adequado para um time que tem dois volantes que nunca avançam. No 4-3-1-2, utilizado no segundo tempo contra o Grêmio, o time melhorou um pouco. Contra o Vasco, o 4-4-2 em linha mostrou-se pouco eficiente. Os atacantes ficam muito distantes dos meias e pouco recebem a bola. É preciso encontrar um centroavante melhor para jogar ao lado de Clayton, segundo atacante.

Inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Curta nossa página no Facebook.

Adicione no Google +.

Siga-nos no Twitter.

O que achou da análise? Comente abaixo.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas