Barcelona 1 x 0 Sampdoria. Copa dos Campeões da Europa 1992. Análise tática

O Barcelona conquistou seu primeiro título europeu, em 1992, após uma vitória sobre a Sampdoria na final da Copa de Campeões Europeus. A finalíssima foi no Estádio Wembley, em Londres, mesmo palco da final de hoje, 28 maio, da Liga dos Campeões da Europa 2010-2011. Com este post encerramos as análises especiais sobre Barcelona e Manchester United. As análises do Manchester United campeão europeu em 1968 (em vídeos com gráficos animados, melhores momentos e desenhos táticos) estão aqui, aqui e aqui. As demais análises do Barcelona (também em vídeos com gráficos animados e animações em flash) estão aqui e aqui.

Barcelona


Clique na imagem para ampliar

O esquema tático do Barcelona campeão de 1992 é o 3-1-4-2, variando para o 3-4-3 e o 3-3-1-3 (o amigo Robert Sweeney, o @santapelota, foi quem chamou-me a atenção para essa formação, por vezes observada também no Barcelona atual). Isso porque Laudrup recua para o meio-campo para ajudar a armar e também aparece à frente como centroavante. É quase o mesmo papel que Messi cumpre no Barcelona atual, só que partido da esquerda, e não da direita como o argentino. Bakero também aparece, muitas vezes, para finalizar como legítimo centroavante. E embora ocupe na esquematização a mesma posição de Xavi, seu papel em campo é mais parecido com o de Iniesta. Parecido, mas não igual. Porque Bakero não é um armador, mas um carregador de bola. A armação fica por conta de Guardiola e Koeman.


Clique na imagem para ampliar

O holandês Ronaldo Koeman é o líbero do Barcelona de 1992. Ele faz a saída de bola da equipe catalã, divide a armação com Guardiola e ainda faz a cobertura atrás dos defensores Nando e Ferrer. Estes apoiam pouco o ataque, já que o time tem poucos jogadores de defesa, mas de vez em quando saem com a bola pelos lados. A bola parada do Barcelona é sempre de Koeman.

O meio-campo do Barcelona tem Guardiola como armador recuado. Como dissemos antes, Bakero leva a bola ao ataque e aparece na frente para finalizar. O ala Juan Carlos Rodriguez joga mais recuado, cobrindo Stoitchkov. Já Eusebio é um ala mais ofensivo. Vai à linha de fundo e fecha em diagonal pelo centro. Ele pode fazer isso porque o atacante Salinas ajuda mais na marcação no setor direito.

O ataque do Barcelona tem Stoitchkov aberto pela esquerda e Salinas, pela direita. Laudrup aparece como centroavante, assim como Bakero. Salinas busca a linha de fundo com mais frequência que Stoichkov que, embora também faça isso, faz mais jogadas em diagonal pelo centro que Salinas. Laudrup cumpre ainda uma outra função tática importante, ajuda a armar pela centro-esquerda.

Nesse jogo contra a Sampdoria, o Barcelona teve mais posse de bola, pressionou a saída de bola adversária e chutou mais a gol. Mas encontrou uma Sampdoria bem postada defensivamente, que ofereceu poucas chances reais de gol e ainda ameçava com as constantes subidas de Lombardo e as jogadas de Vialli e Mancini. O jogo foi para a prorrogação em 0 a 0 e, quando todos já imaginavam uma decisão por pênaltis, Koeman acertou uma falta no canto do excelente Pagliuca. E o Barcelona, merecidamente, sagrou-se, pela primeira vez, campeão europeu.

Sampdoria



Clique na imagem para ampliar

A Sampdoria entrou em campo no 4-2-3-1. Na primeira etapa, Mancini apareceu como atacante pela centro-direita e Vialli jogou como meia-atacante pela esquerda, ajudando a compor o meio-campo no setor quando o time perdia a bola. No segundo tempo, eles trocaram de posição. Mancini passou a recuar mais para o meio-campo, pela esquerda, e Vialli a subir mais ao ataque pelo centro, como um centroavante típico.

A composição defensiva do time italiano contava com Cerezo, principalmente, e Pari muitas vezes aparecendo no meio dos defensores e fazendo a sobra. Vierchowood e Lanna formaram o miolo defensivo, com Mannini e Bonetti pelas laterais. Bonetti foi um lateral-esquerdo mais defensivo, para cobrir os avanços de Vialli; Mannini era mais ativo pela direita, apoiando as subidas de Lombardo. Por esta razão, Cerezo ficava muito no campo defensivo para cobrir o lado direito da Sampdoria.

Embora tendo que cumprir esse importante papel defensivo, o volante Cerezo também avançava para ajudar a armar o time com Katanec e Mancini (principalmente no segundo tempo). Pari, o outro volante, fez uma função principalmente defensiva. Katanec também ajudou muito na marcação do meio-campo, mas adiantava-se mais para tirar espaço de armação de Guardiola.


Clique na imagem para ampliar

No ataque, Mancini começou mais pela direita, como atacante (não como centroavante) e depois, no segundo tempo, inverteu a posição com Vialli, que atuou como centroavante. A mudança melhorou o toque de bola no meio-campo já que Mancini conseguia também armar o jogo. Os avanços de Lombardo e Mancini pela direita incomodaram muito a defesa do Barcelona que, inclusive, teve que inverter os marcadores. Que fique claro que a Sampdoria não foi saco de pancadas do Barcelona nessa final. Embora tivesse menos posse de bola e criasse menos chances de gol, ameaçou a equipe da Catalunha diversas vezes, principalmente a partir das jogadas de Lombardo. E o time evitou ao máximo as faltas próximas à grande área. Até os sete minutos do segundo tempo da prorrogação quando Koeman acertou uma cobrança sem chances para Pagliuca. A Sampdoria caiu de pé.

Ficha do jogo

Barcelona 1 (0) x (0) 0 Sampdoria
Final da Copa dos Campeões Europeus 1992
Londres, Estádio Wembley, 20 de maio de 1992
Público: 70.827

Barcelona: 1-Zubizarreta (capitão), 2-“Muñoz” Nando, 4-Koeman, 3-Ferrer; 10-Guardiola (Alesanco); 11-Eusebio, 5-“Juan Carlos” Rodriguez, 6-Bakero, 9-Laudrup; 7-Salinas (Goikoetxea), 8-Stoitchkov. Técnico: Johan Cruyff.

Sampdoria: 1-Pagliuca, 2-Mannini, 6-Lanna, 5-Vierchowod, 11-I.Bonetti (Invernizzi); 8-Cerezo, 4-Pari, 7-Lombardo, 3-Katanec, 9-Vialli (Buso); 10-Mancini (capitão). Técnico: Vujadin Boskov.

Gol: Ronaldo Koeman, aos 112 minutos (7 minutos do segundo tempo da prorrogação).

Siga Esquemas Táticos no Twitter.









Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

Anônimo disse...

Show de bola,vocês são feras nas análises táticas...

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas