VIDEO. ESQUEMAS CLÁSSICOS. Manchester United 4 x 1 Benfica. Copa Européia 1968. Melhores momentos

Como parte dos preparativos para a final da UEFA Champions League de sábado, 28 de maio, Esquemas Táticos preparou uma série de posts especiais sobre Barcelona e Manchester. Selecionamos duas partidas históricas, não por um acaso as primeiras conquistas continentais de Barcelona e Manchester United: as finais de 1968 e 1992. No vídeo a seguir, selecionamos os melhores momentos de Manchester United 4 x 1 Benfica pela final da Copa Européia de 1968. Optamos por uma edição mais robusta por tratar-se de um jogo que poucos viram e muitos gostariam de ver. Publicaremos ainda, antes da final de sábado, a análise tática da partida. As análises do Barcelona de 1992 já foram publicadas e podem ser conferidas aqui e aqui. Espero que gostem e que comentem. Posso garantir que é ouro puro.





Manchester United 4 (1) x (1) 1 Benfica

Final da Copa Européia 1967-1968 em Wembley. Manchester United e Benfica jogam para 100.000 pessoas e ficam no empate no tempo normal: 1 a 1. Mas o placar foi enganoso, como poderemos ver nos melhores momentos selecionados pelo Blog Esquemas Táticos a partir do vídeo original da partida. O Manchester jogou muito mais. O placar da prorrogação (3 a 0) deixa claro que, além da superioridade técnica e tática, o Manchester também é superior na parte física. Como corre o time do Manchester United!



Este jogo tem alguns fatos históricos importantes. O técnico do Manchester United, Matt Busby foi um sobrevivente do desastre aéreo que matou parte do time do Manchester em Munique dez anos antes. Dos 44 passageiros — entre jogadores, jornalistas e comissão técnica —, 23 morreram. Este foi o primeiro título continental (na época o torneio chamava-se Copa Européia) do Manchester United. O Benfica era treinado pelo brasileiro Otto Glória e contava com o moçambicano (mas que jogava pela seleção portuguesa porque Moçambique era um território português) Eusébio da Silva Ferreira, o Pantera Negra, autor da façanha de conseguir marcar 733 gols em 745 jogos em toda a sua carreira.



Nesta final, percebemos que Eusébio (10) participa muito das jogadas, chama a atenção dos brigões e reclama das jogadas malfeitas. Arrancadas fulminantes, finalização precisa, visão de jogo e dribles espetaculares. É o líder inconteste, e melhor jogador, do Benfica em campo. Mas o melhor é, sem dúvida e sem trocadilho, Best. Suas arrancadas em direção ao gol, seus dribles e passes... George Best fez jus ao nome.

Não podemos esquecer, claro, do toque de classe que Sir Bobby Charlton (9) dá ao meio-campo do Manchester United. Como bate bem na bola! Passes precisos, arrancadas estupendas e um senso de cobertura aguçado. Isso mesmo, Charlton também ajuda, e muito, na marcação no meio-campo. Nesta final contra o Benfica, ele é o meia que pensa no Manchester United. O ataque já conta com o centroavante Kidd (10) e os atacantes pelos lados Aston (11) (esquerda) e Best (7) (direita e centro). Best é quem auxilia Charlton a puxar os mortais contra-golpes do Manchester. E Aston, o ponta-esquerda, voou. Correu muito no tempo normal e na prorrogação.



Entretanto, é bom lembrar que o time do Manchester United jogou no ataque o tempo todo, buscou o gol incessantemente, mesmo depois de marcar o primeiro no tempo normal. O Benfica melhorou no segundo tempo, após o gol do Manchester. Mas insistiu nas jogadas aéreas para o centroavante Torres, facilmente rechaçadas pela defesa inglesa. O curioso é que, numa dessas jogadas, saiu o gol do time português. Torres (9) escorou e Graça (6) concluiu.

A prorrogação foi um massacre do Manchester United. Melhor fisicamente, o time dominou as ações, como fez durante os 90 minutos, mas dessa fez conseguiu converter em gols a superioridade. Em dez minutos, fez 3 a 0. Final de partida: Manchester United 4 x 1 Benfica.

Ficha do jogo

Manchester United: 1-Stepney, 2-Brennan, 5-Foulkes, 6-Stiles, 3-Dunne; 4-Crerand, 9-Charlton, 10-Sadler; 7-Best, 11-Aston, 8-Kidd. Técnico: Matt Busby.

Benfica: 1-Henrique, 2-Adolfo, 3-Humberto, 4-Jacinto, 5-Cruz; 6-Graça, 7-Coluna, 8-José Augusto; 11-Simões, 10-Eusébio, 9-Torres. Técnico: Otto Glória.

Gols da partida: Charlton aos 8 min do segundo tempo e Graça (Benfica) aos 30 min. Prorrogação: Best aos 3 min, Kidd aos 4 min e Charlton aos 9 min.

Não perca as análises com desenhos e gráficos animados de Barcelona e Manchester United que publicaremos antes do jogo de sábado. Visite o blog Esquemas Táticos, siga o @esquemastaticos no Twitter ou adicione-o no Facebook.

Siga Esquemas Táticos no Twitter.









Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas