Internacional 2 x 0 Palmeiras: análise tática

Análise tática do jogo Internacional e Palmeiras, em Porto Alegre, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. O time gaúcho venceu por 2 a 0. O Internacional jogou O Palmeiras começou a partida no 3-2-4-1, variando para um 3-2-3-2. No segundo tempo, o Internacional manteve o esquema tático, mas o Palmeiras adotou o 4-4-2.

Esquema tático do Internacional



O Internacional atuou no 4-3-1-2, como fez na Copa do Brasil contra o Flamengo (ver post Esquema tático do Internacional), mas com muitos reservas.

Na defesa, Bolívar foi o zagueiro pela direita e Danny Morais pela esquerda; os laterais foram Marcelo Cordeiro (esquerda) e Danilo (direita). No meio-campo, os volantes mais recuados foram Glaydson e Sandro, com Rosinei um pouco à frente como volante e meia-direita, e Andrezinho como meia-esquerda. No ataque, Taison pela esquerda e caindo pelo centro e Alecsandro mais centralizado à frente e também pela direita.

No segundo tempo, Tite alterou a equipe sem modificar a formação tática: Nilmar no lugar de Alecsandro, Guiñazu substituindo Sandro e D'Alessandro na vaga de Andrezinho.

O Internacional, com seus três volantes e laterais que pouco sobem, garantem que o trio ofensivo, extremamente técnico e objetivo, fique à vontade na frente. Algo parecido com o esquema tático da Seleção Brasileira de 94, quando o sistema defensivo contava com a ótima técnica de Bebeto e Romário no ataque.

Esquema tático do Palmeiras



O Palmeiras jogou no 3-2-4-1, variando para o 3-2-3-2, e apresentou um esquema tático levemente modificado ao apresentado contra o Sport na Copa Libertadores (ver post Esquema Tático do Palmeiras).

Luxemburgo manteve três zagueiros presos atrás, os dois alas abertos (Armero e Marquinhos), dois volantes marcadores (Pierre e Souza), um meia-armador (Cleiton Xavier) e um meia-atacante (Diego Souza) e um atacante (Keirrison).

A mudança foram a aproximação maior de Diego Souza no ataque e Marquinhos (que é atacante) como ala-direito. Embora muitos jornais, programas esportivos e até mesmo os comentaristas do jogo tenham dito que Marquinhos jogou como atacante, ele jogou como ala-direito ou meia aberto pela direita. Ele teve mais liberdade para atacar e menos obrigação de voltar para marcar, mas atuou pelo lado direito do meio-campo, e não como atacante. E não foi bem.

Com as mudanças no segundo tempo, Luxemburgo repetiu a alteração tática apresentada pelo time no jogo contra o Sport. A formação do Palmeiras passou a ser o 4-2-2-2, com Ortigoza e Keirrison na frente e Diego Souza e Cleiton Xavier como meias. A intenção, provavelmente, era fazer a bola chegar mais ao ataque, mas os meias palmeirenses foram anulados pelos volantes do Internacional e os atacantes tiveram pouco espaço contra a defesa gaúcha que pouco liberava seus laterais para o ataque.

Leia também:

Esquema tático do jogo Sport x Palmeiras.

Análise tática de Palmeiras x Nacional-URU.

Esquema tático do Palmeiras.

VÍDEO: Análise tática do Barcelona.

VÍDEO: Análise tática do Manchester.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas