Argentina 3 x 1 México. Análise tática. Copa do Mundo 2010

A Argentina venceu o México por 3 a 1, no Soccer City Stadium em Joanesburgo, pelas oitavas-de-final da Copa do Mundo da África do Sul 2010. O esquema tático da Argentina foi o 4-1-3-2. O esquema tático do México foi o 4-4-1-1.

Argentina



A Argentina começou o jogo no 4-1-3-2. Sem Verón, Messi faz o papel de armador centralizado, Máxi Rodríguez o meia-direita e Tevez o de atacante ligeiramente atrás de Higuaín. O time fica mais rápido, mas menos organizado sem Verón. Messi é mais carregador de bola, enquando Verón passa com mais qualidade e faz lançamentos. Com Verón, a Argentina normalmente atua num 4-1-1-3-1, já que ele joga à frente de Mascherano e atrás da linha de meias-atacantes formada por Di Maria, Messi e Tevez (ver Argentina 1 x 0 Nigéria. Análise tática. Copa do Mundo 2010).

Sem o volante-armador Verón, Maradona tratou de reforçar a defesa. Colocou quatro zagueiros de origem na linha defensiva. O usual são três: Heinze, Samuel e Demichelis. Contra o ataque leve e veloz da seleção mexicana, Maradona optou por uma linha com (da direita para a esquerda) Otamendi, Demichelis, Burdisso e Heinze. Só Heinze tinha liberdade (e alguma habilidade) para atacar pela esquerda.

A seleção argentina tem muitos jogadores acima da média, no geral, entretanto, é um time desorganizado. Ainda mais sem Verón. Di Maria não tem repetido as ótimas atuações pelo Benfica na temporada 2009/2010, mas está jogando mais recuado. Mascherano é um jogador supervalorizado e, além de não ser um volante de marcação top de linha, não sabe sair para o jogo. Os demais problema são estratégicos.

O jogo argentino é muito centralizado. Messi gosta de partir da esquerda para o centro. O mesmo acontece com Tevez. Di Maria, que é o único que chega à linha-de-fundo, está jogando mais recuado nessa Copa. Máxi Rodríguez está sem função e é, no máximo, um assistente de Messi. Que fique claro que Messi, Higuaín e Tevez estão fazendo uma ótima Copa individualmente e que Di Maria é ótimo jogador, embora esteja fazendo uma Copa ruim, talvez pelo posicionamento.

Ainda assim, a Argentina conseguiu superar o bom time mexicano e conquistar uma vaga para as quartas-de-final da Copa 2010. Contra a organizada Alemanha, terá problemas para chegar às semifinais.

Segundo tempo



No segundo tempo, Maradona recuou seu time, que estava à frente no placar, e a Argentina passou a jogar no 4-4-1-1 em linha. Verón foi jogar como volante ao lado de Mascherano e Jonás Gutiérrez e Máxi Rodríguez (depois, no final, Pastore) foram os meias pelos lados. Foi pressionada e sofreu um gol. Mas não passou sustos que pudessem comprometer a classificação.

México



O México foi o time que apresentou, em toda a Copa 2010, as maiores variações táticas. Com os mesmos jogadores, o time varia do 4-3-3 para o 3-4-3 e para o 4-4-2. Contra a Argentina, o time começou no 4-4-1-1 e, quando levou o gol, o técnico Javier Aguirre liberou os laterais/alas e colocou Rafael Márquez como líbero num 3-5-2. Osorio, por exemplo, é zagueiro quando o time tem está no 3-5-2 ou 3-4-3 e lateral-direito quando a formação tática passa para o 4-4-2 ou 4-3-3. O dinamismo é impressionante.

Entretanto, embora Javier Aguirre tenha tido tempo e competência para treinar essas variações táticas em sua equipe, escolheu mal as peças. O goleiro Oscar Perez é inferior a Guillermo Ochoa. Torrado e Rafa Márquez erram muitos passes e deixam o meio-campo lento, contrastando com a velocidade e técnica dos atacantes e meias-atacantes. Osorio, além de ser baixo, não é bom no desarma nem no passe (quando sobe para a lateral, isso é muito importante).

A culpa da derrota mexicana não é apenas de Javier Aguirre. Além de ter enfrentado um bom time que é a Argentina, seus atacantes são muito ruins de finalização. E, nesse caso, ele não tinha opções. Assim como seria difícil encontrar outro líbero com a versatilidade de Rafa Márquez.

À parte todos esses problemas, ficaram muitas coisas boas da participação do México na Copa. Além das variações táticas, o zagueiro Francisco Fernández é muito bom jogador, assim como Salcido, o melhor lateral-esquerdo/ala da Copa até agora. Giovani dos Santos, Barrera e Hernández são habilidosos e, embora precisem melhorar tecnicamente, são novos e terão tempo para isso.

Segundo tempo



Atrás no placar, o México partiu para o ataque e dominou a partida. Criou mais chances e manteve a bola no campo ofensivo. No 3-4-3, variando para o 4-3-3, Hernández e Guille Franco ficaram como centroavantes, Barreira como ponta-esquerda e, depois, como ponta-direita. Giovani dos Santos, Juarez e Salcido formaram uma linha no meio-campo. Mas a seleção argentina se fechou e segurou a vantagem.

Análise tática das seleções da Copa do Mundo 2010

Alemanha 4 x 1 Inglaterra. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Estados Unidos 1 x 2 Gana. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Uruguai 2 x 1 Coreia do Sul. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Brasil 3 x 1 Costa do Marfim. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Inglaterra 0 x 0 Argélia. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

África do Sul 0 x 3 Uruguai. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

França 0 x 2 México. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Espanha 0 x 1 Suíça. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Honduras 0 x 1 Chile. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Brasil 2 x 1 Coreia do Norte. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Costa Marfim 0 x 0 Portugal. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Itália 1 x 1 Paraguai. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Japão 1 x 0 Camarões. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Holanda 2 x 0 Dinamarca. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Alemanha 4 x 0 Austrália. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Sérvia 0 x 1 Gana. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Argélia 0 x 1 Eslovênia. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Inglaterra 1 x 1 Estados Unidos. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Argentina 1 x 0 Nigéria. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Coréia do Sul 2 x 0 Grécia. Copa do Mundo 2010. Análise tática.

Uruguai 0 x 0 França. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

África do Sul 1 x 1 México. Copa do Mundo 2010. Análise tática.

Ouça podcasts com análises de especialistas entrevistados pela Rádio Esquemas Táticos.

Rádio Esquemas Táticos. Bate-papo com Tim Vickery, da BBC de Londres e da Sports Illustrated. Tema: Principais seleções da Copa 2010.

Rádio Esquemas Táticos. Bate-papo com André Rocha, do GloboEsporte.com. Tema: principais seleções da Copa 2010.

Rádio Esquemas Táticos. Bate-papo com Robert Sweeney. Tema: seleções sulamericanas na Copa 2010.

Rádio Esquemas Táticos. Bate-papo com Hugo Albuquerque sobre o Campeonato Brasileiro 2010.

Mande o link desta análise para o seu twitter.






Bookmark and Share


Siga Esquemas Táticos no Twitter.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

Fran Castarlenas disse...

Hola! Te escribo desde Zaragoza (España).

Muy bueno tu blog. ¿Te interesa un intercambio de links?

Ya me dirás ;) Un abrazo.

http://letsdancetogoal.blogspot.com

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas