INTERATIVO: Grêmio 2 x 2 Cruzeiro – Análise tática

Cruzeiro e Grêmio empataram (2 x 2) — na quinta-feira, 2 de julho de 2009 —, pela semifinal da Copa Libertadores, e o time mineiro está classificado para a final, quando enfrentará o Estudiantes da Argentina.

O Cruzeiro joga no 4-3-1-2, que também pode ser visto como um 4-2-2-2 porque, hoje, Ramires é mais um meia que conduz a bola em velocidade que um volante. O Grêmio joga no 4-2-2-2 também, mas diferentemente do Cruzeiro, tem dois meias de origem (Tcheco, mais armador, e Souza, que conduz mais a bola) à frente dos volantes marcadores. Outra diferença é que o Cruzeiro tem um volante técnico que marca e também arma as jogadas (Marquinhos Paraná) enquanto o Grêmio tem dois volantes (Túlio e Adílson) que são apenas marcadores.

Para visualizar melhor os esquemas táticos de Grêmio e Cruzeiro, fizemos um gráfico interativo animado. Veja as instruções de uso no final deste texto.

Grêmio

No início do jogo, o Grêmio pressionou a saída de bola cruzeirense e marcou a bola com três ou até quatro jogadores. Com isso, o Cruzeiro errou muitos passes. A melhor saída para o Cruzeiro seria virar o jogo, já que quem tinha a bola, como dissemos, era marcado por três ou quatro gremistas.








O Grêmio fez diversas jogadas pela esquerda, nas costas de Jonathan, com Fábio Santos, Souza e Maxi López. Foi por onde surgiram as principais chances de gol do time gaúcho (ver Formação 1, Ataque).

Diferentemente de outros jogos, Adílson apareceu mais vezes no campo ofensivo (ver Formação 1, Ataque). Túlio ficou mais preso na marcação. Como já tínhamos adiantado (ver post VÍDEO: Esquema tático do Grêmio), Réver subiu ao ataque algumas vezes como elemento surpresa. Os meias Tcheco e Souza mudaram de lado durante o jogo, assim como os atacantes Herrera e Maxi Lopez (ver Formação 2). No final do primeiro tempo, durante o segundo, os meias ficaram mais avançados, deixando a marcação para os volantes e defensores apenas (ver Formação 2, Defesa).

Mas Tcheco mostrou muita lentidão e pouco acrescentou com a bola rolando, exceto por uma ou outra aparição pelo lado esquerdo do ataque, cruzando a bola na área. No mais, ficou responsável pela maioria das bolas paradas, e nesse quesito foi bem. Souza levou mais perigo à defesa cruzeirense com sua velocidade e maior dinamismo. Além de também cobrar bem faltas.

O ataque do Grêmio foi, novamente, muito lento e previsível. Os atacantes Herrera e Maxi López apostam muito no jogo físico, na trombada, e nas bolas altas. Mas precisam muito do apoio dos meias e de Fábio Santos para criar jogadas. E são tecnicamente limitados.

Cruzeiro

O Cruzeiro começou o jogo sendo muito pressionado pelo Grêmio. O jogador que pegava a bola era marcado por três ou até quatro jogadores gremistas, como já dissemos na análise do Grêmio. Para sair desse tipo de marcação, o ideal é virar o jogo rapidamente, encontrando jogadores livres do outro lado do campo. Mas o Cruzeiro não fez isso.








Entretanto, fez um gol numa jogada de Kléber que, ao nosso ver, não pode ser vista apenas como fruto apenas do talento individual, mas de modificação tática. Kléber normalmente joga pelo lado esquerdo, entranto em diagonal pelo centro ou pela ponta esquerda. No gol, Kléber caiu pela direita (aliás, como já tinha feito no jogo contra o Grêmio no Mineirão), confundindo a marcação, e cruzou para Wellington Paulista (ver Formação2, Ataque).

O meio-campo não mostrou o mesmo dinamismo apresentado em Belo Horizonte, ainda assim, Marquinhos Paraná se destacou por aparecer como armador (ver Formação 1, Ataque. E também Formação 2, Ataque) nas jogadas de ataque e como terceiro zagueiro quando o Cruzeiro era atacado (ver Formação 1, Defesa. E também Formação 2, Defesa). Wágner é o principal armador dos contra-ataques, mas quando o time ataque ele pode tanto ser um armador ao lado de Marquinhos Paraná quanto um terceiro atacante.

Ramires, que não esteve bem no jogo, também puxou os contra-ataques e apareceu nas pontas Os laterais apoiaram pouco o ataque. Kléber prendeu a bola no campo de ataque e fazia o papel de pivô para a passagem dos meias e laterais.

Gráfico interativo animado - instruções de uso

Para visualizar a formação do time no primeiro tempo, clique no botão "Formação 1". A partir daí, utilize os botões "Defesa" e "Ataque" para os movimentos defensivos e ofensivos do time.

O botão "Formação 2" apresentação a disposição tática do time no segundo tempo. Os botões "Defesa" e "Ataque" serão relativos a esta segunda formação.

Para uma melhor visualização dos movimentos de ataque e defesa, clique antes na formação base (1 ou 2) a partir da qual você quer observar a movimentação.

Passando-se o mouse sobre o número dos jogadores, seu número aparecerá na parte debaixo do gráfico.

Leia também:

Cruzeiro 3 x 1 Grêmio. Análise tática.

VÍDEO: Esquema tático do Grêmio.

Esquema tático do Cruzeiro. 2º jogo das semifinais da Copa Libertadores. Pré-jogo.

Esquema tático do Grêmio no 3-5-2.

Movimentação e posicionamento de Ramires no Cruzeiro.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

Fernando Abi-Acl disse...

O clima de guerra não prevaleceu na decisão entre Grêmio e Cruzeiro. Pelo menos nada demais foi noticiado pela imprensa. Fora esse clima pesado que se criou após o jogo de Belo Horizonte, o jogo foi aguerrido dentro de campo. A equipe gaúcha começou pressionando muito. Ótimos ataques, mas grande parte sem aquele perigo de gol. Na verdade os mineiros já esperavam por isso. Aos poucos fez os gremistas se cansarem. Sempre jogando nos contra ataques o Cruzeiro se portou bem e soube se defender para garantir o resultado. Para alguns o resultado poderia ter sito outro, já que o arbitro da partida não marcou uma penalidade favorável ao Grêmio. Após esse lance contestado e mais pressão gremista, o Cruzeiro foi ao ataque e com W. Paulista fez 1x0. Um ótimo lance de Kleber, que soube proteger bem a bola e conduzir ao campo adversário. Isso desarmou em parte os jogadores e torcedores gremistas. Estavam tão nervosos que fizeram a chamada “linha burra”. Novamente W. Paulista fez o gol. 2x0. Agora sim o grêmio ficou desarticulado e sem saber o que fazer. Na volta do intervalo só restava uma coisa: Buscar um resultado justo. Pelo menos o empate, como foi feito. 2x2 placar final. A segunda etapa não teve muita coisa para fazer. Cruzeiro administrou a partida, o Grêmio tentou o empate, como conseguiu.

Agora é o Brasil, representado pelo Cruzeiro, na final da Libertadores 2009. Cruzeiro x Estudiantes se enfrentam em 2 jogos. O primeiro será na Argentina, na próxima quarta-feira. No dia 15/07 o jogo de volta, em BH. Os ingresso começam a ser vendidos na segunda-feira, dia13. Segundo Zezé Perrela os valores serão outros. Em média R$80,00. Acho que é um valor justo sim. É final de libertadores, o time batalhou muito e com esse valor a premiação será concedida aos atletas. Acho justo. A torcida ganha o título.... e os jogadores um premio financeiro.

Um abraço,
Fernando Abi-Acl.

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas