Barcelona 0 x 0 Chelsea

Barcelona e Chelsea empataram em 0 a 0 no Camp Nou em Barcelona. O Barcelona jogou no 4-3-3 e o Chelsea no 4-5-1. No primeiro tempo, o Barcelona teve 70% de posse de bola contra 30% do Chelsea. No segundo tempo, o percentual ficou em 66% a 34%. Fato já corriqueiro porque o Barcelona normalmente mantém seu sistema tático e, também normalmente, obriga seus adversários a mudarem os seus. O que não quer dizer que o Barcelona sempre leve vantagem. (Veja também o post Esquema tático do Barcelona campeão espanhol 2009).

O time catalão teve dificuldades de tocar a bola no meio campo e ligá-la ao ataque porque o Chelsea atuou retrancado, com quatro volantes (ou jogadores que atuavam como volantes. Explico adiante) em linha, além de Malouda pela esquerda. Criando, assim, uma linha de cinco no meio.

Ainda assim, o Barcelona foi superior e criou chances. O Barcelona deu um total de 20 chutes a gol (seis na meta) contra três (um na meta) apenas do Chelsea. Outro indicador da superioridade do Barcelona é o número de escanteios pró: dez contra dois.

Barcelona



O time do Barcelona, como eu já disse, jogou no 4-3-3, com Abidal funcionando a maior parte do tempo como zagueiro e Daniel Alves como meia-direito, o que nos permite afirmar que houve uma variação para o 3-4-3. Os outros zagueiros foram Piqué pela esquerda e Rafa Marquez (saiu contundido para a entrada de Puyol) pela direita. Um volante de marcação (Yayá Touré) e dois meias — sendo um mais de armação (Xavi) e outro que carrega mais a bola e chega mais pelo lado esquerdo do ataque (Iniesta). Os três atacantes foram Henry pela esquerda, Eto'o pelo meio e Messi pela direita.

Nenhuma novidade, o Barcelona sempre atua dessa maneira. Aliás, uma novidade apenas: a entrada de Abidal no lugar de Puyol pelo lado esquerdo da defesa. Puyol tem atuado como falso lateral-esquerdo — na verdade ele é um terceiro zagueiro. Mas acredito que o cartão amarelo que ele tinha (e acabou tomando mais um e ficou fora da próxima partida), mais o fato de o Barcelona ter que ganhar em casa (e um lateral-esquerdo que é dublê de zagueiro teria mais utilidade nesse caso) o tirou da partida. Mas a contusão de Rafael Marquez obrigou a sua entrada.

As modificações do segundo tempo apenas mudaram os papéis de alguns jogadores, mas manteve o esquema tático do time. Bojan entrou como centroavante no lugar de Eto'o e Hleb entrou no lugar de Henry, mas para cumprir a função de Iniesta, que ocupou a função de atacante pela esquerda. Messi e Daniel Alves foram muito bem marcados por Bosingwa e Obi Mikel. Só no segundo tempo Messi movimentou-se mais por outras posições do ataque.


Chelsea



O Chelsea modificou seu esquema tático para enfrentar o Barcelona. Com Guus Hiddink, o time tem atuado no 4-1-4-1, variando para o 4-1-2-3 (contra times menores), com Ashley Cole subindo pela lateral-esquerda e Ivanovic como zagueiro pela direita. Contra o Barcelona, o Chelsea apresentou-se num 4-4-1-1 ou 4-5-1, com uma linha de quatro na defesa (da direita para esquerda: Ivanovic, Alex, Terry e Bosingwa) e uma linha de até cinco jogadores pelo meio.

A linha do meio-campo, da direita para a esquerda, foi formada por Essien, Ballack, Lampard e Mikel. Todos executando a função de volantes. Malouda executou dois papéis: sem a bola, recuava pela esquerda e ajudava a compor uma linha de cinco no meio-campo, ajudando a marcar as descidas de Daniel Alves; com a bola, avançava pela esquerda como atacante para auxiliar Drogba, que também voltava e ficava à frente da linha de cinco.

As substituições no segundo tempo mudaram pouco o Chelsea, mas mudaram: a posse de bola aumentou um pouco. Belletti entrou no lugar de Lampard e deu opções de saída de bola pelo lado direito. A partir de então, o meio-campo do Chelsea passou para a seguinte formação, da direita para a esquerda: Belletti, Ballack, Essien, Mikel e Malouda, agora incorporado à linha para segurar a maior pressão do Barcelona no segundo tempo.

O time ganhou mais uma saída pelos lados do campo, já que Belletti e Malouda marcavam e saíam para o jogo. O Chelsea, como eu disse, aumentou sua posse de bola, mas também se expôs mais.

Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

4 comentários:

Abecedista disse...

Cara, seu blog é simplesmente muito bom.

Vou linká-lo no blog O Abecedista.

Sds Alvinegras.

Abecedista.

Esquemas táticos disse...

Ainda estou montando o meu blog e, em breve, colocarei links nele também. O seu também estará lá. Abraços e obrigado pela visita.

Fernando Abi-Acl disse...

Jogo truncado e ao mesmo tempo aberto. Os dois times não quiseram se arriscar tanto assim, já que era o jogo de ida. Resultado ruim para o Barcelona, mas nem tanto, pois empate com gols o time Catalão se classifica.

Se não fosse o goleiro Valdes o Barça poderia ter deixado o campo com derrota por um tento, pois no mesmo lance salvou o Barça por duas vezes. Destaco que essa foi a oportunidade mais clara de gol do Chelsea, que jogou na retranca e quatro volantes. Mais alguns volantes o Chelsea virava industria automobilistica.

Sem dúvida na próxima semana teremos um jogo melhor.

Hoje, quarta-feira, temos outro clássico da liga: Manchester x Arsenal.

Esquemas táticos disse...

Vamos acompanhar esse Manchester e Arsenal. Abraços.

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas