Uruguai 1 x 0 Jamaica. Análise tática. Copa América 2015


O Uruguai venceu a Jamaica por 1 a 0 no Estádio Bicentenario Calvo y Bascuñan, em Antofagasta, pelo grupo B da Copa América do Chile 2015. O Uruguai encontrou muitas dificuldades para penetrar no sistema defensivo da seleção jamaicana. O meio campo povoado da Jamaica dificultou a troca de passes e, muito marcado, Cavani poucas vezes conseguiu receber uma bola limpa do meio campo uruguaio. Tanto que o gol saiu de bola parada, a partir de uma cobrança de falta. Cristian Rodríguez fez 1 a 0. O Uruguai não impressionou. Pelo contrário, decepcionou.

Uruguai no 4-1-4-1 e no 4-1-3-1-1


O Uruguai começou o jogo no 4-1-4-1. O espelhamento do sistema tático uruguaio pela Jamaica obrigou Óscar Tabárez a rever a estratégia. O problema do 4-1-4-1 uruguaio foi, exatamente, a falta de avanço do meio campo. Cristian Rodríguez, Lodeiro e Sánchez não conseguiram trocar passes e pararam na marcação do meio campo jamaicano, muito povoado e forte. Os lançamentos encontravam um isolado Cavani, sozinho na frente e muito marcado pela defesa adversária.



As dificuldades de penetração fizeram com que o esquema tático fosse modificado e o Uruguai passou a atuar no 4-1-3-1-1. Diego Rolán foi reposicionado, ficando mais avançado, num misto de segundo-atacante e meia-atacante, já que voltava para recompor o meio campo quando o Uruguai perdia a bola.



Abaixo, detalhe do 4-1-3-1-1 do Uruguai, com Diego Rolán fazendo o duplo papel de encostar no centroavante Cavani e recompor a linha de meio campo quando a seleção uruguaia perdia a bola.




Observação importante: De Arrascaeta entrou no segundo tempo e jogou como segundo atacante. No Cruzeiro, ele vinha sendo escalado por Marcelo Oliveira como meia central da linha de três no 4-2-3-1 do time mineiro. Veja detalhe no print abaixo.



Jamaica no 4-1-4-1


A Jamaica jogou no 4-1-4-1, espelhando o esquema tático do Uruguai. Com isso, povoou o meio campo e dificultou a troca de passes uruguaia no setor. O time apostou nos contra-ataques, avançando com vários jogadores, após recuperar bolas ainda no meio campo.



Abaixo, detalhe do 4-1-4-1 da Jamaica.




Em clara inferioridade técnica, os jamaicanos apostaram na marcação forte. O primeiro-volante Austin não abandonava o campo defensivo e jogou todo o tempo à frente da defesa. Ele também completava a linha de quatro central quando algum jogador subia para o ataque para ajudar o centroavante Mattocks. McAnuff, Barnes e o próprio Mattocks foram os melhores jogadores da Jamaica no jogo.

No segundo tempo, já perdendo de 1 a 0, a Jamaica também modificou seu sistema tático e passou a atuar no 4-4-1-1, com Barnes como o “1” atrás de Mattocks.


Inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Curta nossa página no Facebook.

Adicione no Google +.

Siga-nos no Twitter.

O que achou da análise? Comente abaixo.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas