Barcelona 4 x 1 Arsenal. Análise tática

O Barcelona venceu o Arsenal por 4 a 1, no Camp Nou, pelas quartas-de-final da Uefa Champions League 2009-2010. O esquema tático do Barcelona variou entre o 4-3-3, o 4-1-4-1 e o 3-3-3-1. O esquema tático do Arsenal foi inicialmente o 4-1-4-1 e, no segundo tempo, o 4-4-2.

Barcelona



O Barcelona teve maior posse de bola (60%), maior número de finalizações (15 no total, 8 no gol) e maior número de passes (84% deles certos). Dominou totalmente o jogo. Tanto que Guardiola testou alguns desenhos táticos. Depois de iniciar no 4-3-3 ilustrado acima, espelhou o esquema tático do Arsenal (4-1-4-1) e utilizou também o 3-3-3-1, uma variação do 3-3-1-3 que abordona na análise "O 4-4-2 do Barcelona - As variações táticas do Guardiola".

O 4-3-3 teve Daniel Alves na lateral direita, Márquez como defensor pela direita, Milito como defensor pela esquerda e Abidal na lateral esquerda. Abidal apoiou mais que o usual, mas teve a cobertura de Keita no setor.

No meio-campo, Sergio Busquets foi o volante de marcação, Xavi o volante-armador pela direita e Keita como volante/meia pela esquerda. Com a posse de bola, Xavi percorre todo o meio-campo e, defendendo, volta pela centro-direita.

No ataque, Pedro jogou pela direita como meia-atacante, Messi pelo centro e Bojan pela esquerda. Pedro muitas vezes foi o meia pela direita; Messi não foi o centroavante enfiado entre os zagueiros, mas um segundo atacante partindo da risca do meio-campo pelo centro; Bojan foi o mais avançado dos três, jogando pela esquerda. Bojan foi o mais apagado jogador do Barcelona. Messi marcou os quatro gols do Barcelona e foi o melhor jogador da partida.



No segundo tempo, o técnico Guardiola testou novas formações para o Barcelona. Com Yayá Touré no lugar de Bojan, o técnico colocou seu time no 4-1-4-1. Yayá Touré foi o volante de marcação, Busquets foi adiantado para a centro-esquerda da linha de quatro de meias formada por Keita na esquerda, Xavi na centro-direita e Pedro na direita. Messi jogou como único atacante, mas com a aproximação dos meias e laterais, não ficou sozinho na frente.



Com o jogo decidido, a formação do Barcelona passou a ser o 3-3-3-1. Na defesa, Milito pela esquerda, Yayá Touré pelo centro e Márquez na direita. À frente da linha defensiva, uma outra linha formada por Maxwell (entrou no lugar de Abidal) na ala esquerda, Sergio Busquets pelo centro e Daniel Alves pela ala direita. Formando um losango no meio com Busquets, Keita pela esquerda, Xavi pela direita e Iniesta (entrou no lugar de Pedro) como meia-atacante, caindo pelos dois lados do campo, na ponta do diamante.

Arsenal



O Arsenal repetiu o esquema utilizado no início do jogo de ida em Londres e iniciou a partida no 4-1-4-1. Sem conseguir ter a maior posse de bola (40%), trocando poucos passes (347 contra 609 do Barcelona) e errando muitos deles (69% de acerto), o Arsenal não conseguiu fazer seu jogo e foi dominado em Barcelona. Com isso, deu apenas 6 chutes a gol (apenas 2 no alvo).

A defesa do Arsenal armou-se com Sagna na lateral direita, Vermaelen como defensor pela direita, Silvestre como defensor pela esquerda e Clichy na lateral esquerda. Em relação ao jogo no Emirates Stadium, Vermaelen foi deslocado para o lado direito do miolo defensivo e Silvestre entrou no lugar do contundido Gallas. No segundo tempo, com a entrada de Eboué, Vermaelen voltou para a esquerda (quarto zagueiro) e Sagna ocupou a posição de zagueiro central. Destaque para a boa partida de Clichy, que atacou e não deu espaço para Pedro.

No meio-campo, Denílson foi o volante de marcação atrás da linha de quatro meias formada por Rosicky pela esquerda, Diaby pela centro-esquerda, Nasri pela centro-direita e Walcott pela direita. Walcott não foi nem sombra do jogador que incendiou a partida em Londres e Rosicky foi o pior jogador do Arsenal no jogo. Nasri e Diaby foram burocráticos e Denílson era o marcador de Messi (nem preciso dizer que também foi muito mal). Com o meio-campo, melhor setor do Arsenal, tão apagado, não é surpresa que tenha perdido tão facilmente para o Barcelona.

No ataque, um isolado Bendtner.



No segundo tempo, o técnico Arsène Wenger fez duas substituições e mudou o esquema tático do Arsenal para o 4-4-2. Eboué (saiu Silvestre) entrou na lateral direita, deslocando Sagna para o miolo da defesa, e Eduardo (no lugar de Rosicky) passou a formar a dupla de ataque com Bendtner.

O meio-campo mudou seu desenho para uma linha de quatro, com Denílson um pouco mais recuado que Diaby pela faixa central. Nasri (meia-esquerda) e Walcott (meia-direita) seguiram opacos. No ataque, ora Bendtner, ora Eduardo voltava para buscar a bola no meio-campo e fazer o número um à frente da linha de meias. Quando o time tinha a posse de bola, colocavam-se como autênticos centroavantes.

As estatísticas citadas no texto foram tiradas do site da UEFA.

Leia também:

O 4-4-2 do Barcelona. Variações táticas de Guardiola.

Arsenal 2 x 2 Barcelona. Análise tática.

Milan 2 x 3 Manchester United. Análise tática.

Arsenal 1 x 3 Manchester United. Análise tática.

Internazionale 2 x 0 Milan. Análise tática.

Werder Bremen 2 x 3 Bayern de Munique. Análise tática.

Arsenal 0 x 3 Chelsea. Análise tática.

Esquema tático do Olympique de Marselha. Jogo contra o Milan.

Esquema tático do Milan. Jogo contra o Olympique de Marselha.

CSKA Moscou 2 x 1 Wolfsburg. Análise tática.

Barcelona 2 x 0 Internazionale de Milão. Análise tática.

Liverpool 2 x 2 Manchester City. Análise tática.

Everton 0 x 2 Benfica. Análise tática.

Milan 1 x 1 Real Madrid. Análise tática.

Milan x Real Madrid. Análise tática em tempo real.

Real Madrid 2 x 3 Milan. Jogo em Madri.

Chelsea 2 x 0 Liverpool. Análise tática.

Sporting 1 x 0 Hertha Berlin. Análise tática.

AEK Atenas 1 x 0 Benfica. Análise tática.

Bayern de Munique 0 x 0 Juventus. Análise tática.

Arsenal 2 x 0 Olympiacos. Análise tática.

Barcelona 2 x 0 Dínamo Kiev. Análise tática.

Esquema tático do Manchester City.

Esquema tático do Lyon.

Esquema tático do Borussia Dortmund.

Esquema tático do Bayern de Munique.

Borussia 1 x 5 Bayern. Análise tática.

Roma 1 x 3 Juventus. Análise tática.

Esquema tático do Chelsea.

Manchester United 2 x 1 Arsenal. Análise tática.

Milan 0 x 4 Internazionale de Milão. Análise tática.

Esquema tático do Milan. Jogo contra o Siena.

Esquema tático da Internazionale de Milão. Jogo contra o Bari.

Esquema tático do Barcelona.

Esquema tático do Shakhtar Donetsk.

Esquema tático do Real Madrid. Jogo contra o Rosenborg.

Esquema tático do Real Madrid com Kaká e Cristiano Ronaldo.

Esquema tático do Wigan.

Esquema tático do Liverpool.

Esquema tático do Tottenham.

Esquema tático do Atlético de Madrid.

Mande o link desta análise para o seu twitter.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

Gabriel Campi disse...

O Barcelona é um time muito versátil, com jogadores que podem fazer diversas funções dentro de campo. Isso facilita muito a vida de Guardiola. Show do Messi hoje, foi demais.

Abraços.

Visite:

www.blogfutebolnaveia.blogspot.com

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas