Esquema tático do Goiás

O Goiás jogou no 3-6-1, variando para o 3-5-2, no empate com o Flamengo em 0 a 0, no Rio de Janeiro, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009.



O técnico Hélio dos Anjos mandou o Goiás a campo no 3-6-1, que se transformava em um 3-5-2 quando o time atacava. A defesa teve Rafael Tolói pela esquerda, Leandro Eusébio no meio e Ernando pela esquerda. Tolói apoiou algumas vezes e, juntamente com Ernando, era o responsável por dar o bote, enquanto Leandro Eusébio ficou na sobra.

O meio-campo contou com dois volantes de marcação (Fernando, pela esquerda, e Rithelly, pela direita) que auxiliavam na armação de jogadas. O ala-esquerdo Douglas apoiou bastante o ataque no primeiro tempo e ficou mais no campo defensivo no segundo. Do outro lado, o ala-direito Vítor marcou mais no primeiro tempo e se lançou ao ataque na etapa final. Léo Lima atuou na meia-esquerda como armador, Fernandão foi o meia-atacante pela esquerda e Iarley o centroavante. Fernandão e Iarley trocaram de posição muitas vezes. Léo Lima (que teve atuação apagada), Fernandão (foi regular) e Iarley (que jogou bem) formaram um triângulo com Iarley na ponta ofensiva.



O esquema tático do Goiás não se modificou no segundo tempo, mas houve reposicionamento e entrada de alguns jogadores. Na defesa, Leandro Eusébio passou a ser o zagueiro pela direita, Rafael Tolói ocupou a posição de zagueiro da sobra pelo centro e Ernando continou pelo lado esquerdo.

No começo do segundo tempo, Iarley jogou bem aberto pela direita, marcando e sendo marcado por Juan. Com isso, barrou as investidas do lateral do Flamengo. Fernandão fixou-se como centroavante. Como Andrade adiantou Juan para a meia-esquerda, Vítor tornou-se o marcador de Juan e vice-versa. Douglas não avançou tanto quanto no primeiro tempo. A entrada de Felipe no lugar de Fernandão também modificou o desenho ofensivo do Goiás. Iarley voltou a ser o centroavante e Felipe ocupou a posição de meia-atacante aberto pela esquerda. Amaral entrou no lugar do Rithelly e desempenhou a mesma função, ou seja, volante de marcação. Já no fim do jogo, Hélio dos Anjos colocou Júlio César como meia-esquerdo no lugar de Léo Lima.

Leia também:

Flamengo 0 x 0 Goiás. Análise tática.

Botafogo 3 x 2 São Paulo. Análise tática.

Flamengo 2 x 1 São Paulo. Análise tática.

Internacional 4 x 0 Goiás. Análise tática.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

julio disse...

desculpe, mas Iarley jogou sempre aberto pela direita, nucacomo centroavante( o que seria um absurdo pois ele ñ tem características para isso). Léo lima jogou pelo centro, vc se confundiu pois ele por característica e ñ por tática caia pela esquerda...ah é absurdo dizer q pet foi meia pela esquerda

Esquemas táticos disse...

Olá Júlio, tudo bem?

O Iarley jogou pelo centro do ataque, portanto, centroavante. Concordo contigo que ele não tem as características que são padrão para o centroavante (alto, pesado), mas foi como ele jogou na maior parte do primeiro tempo e a partir da metade do segundo, após a entrada de Felipe. Na primeira etapa, trocou várias vezes de posição com Fernandão, que no início da etapa final passou a ser o centroavante. Léo Lima jogou pela esquerda, como meia-armador. Entendi assim a partida, mas admito que outras leituras possam ser feitas.

Abraços e volte sempre.

Marcelo Costa.

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas