México 0 x 0 Bolívia. Análise tática. Copa América 2015

México e Bolívia empataram em 0 a 0, no Estádio Sausalito, em Viña del Mar, pela primeira rodada do Grupo A da Copa América 2015 no Chile. A seleção mexicana jogou no 3-5-2, variando para o 3-4-3. A seleção boliviana jogou no 4-2-3-1.

O primeiro tempo foi de muita briga no meio campo e poucas chances de gol. O México teve mais volume de jogo, mas foi a Bolívia quem criou as melhores chances para marcar. Na segunda etapa, o México deu uma pequena pressão na Bolívia, mas insuficiente para tirar o zero do placar. Final de jogo: México 0 x 0 Bolívia.

México no 3-5-2 variando para o 3-4-3


O esquema tático do México foi o 3-5-2, com Corona abrindo muitas vezes como um terceiro atacante, variando para o 3-4-3. A seleção mexicana atua com três zagueiros com Rafa Márquez pelo centro com Ayala, pela direita, e Domínguez, pela esquerda. Os três zagueiros fazem a saída de bola e, por vezes, os defensores laterais aparecem de surpresa no campo ofensivo como opção de passe.

Os alas jogam bem abertos e avançados. Flores (direita) e Aldrete (esquerda) também voltam para formar uma linha de cinco na defesa quando a Bolívia atacava com muitos jogadores. Alas que são, também transitam pela faixa central do campo deslocando-se em diagonal.

No meio campo, Güemez é o volante de marcação, Medina o volante-meia pela esquerda e Jesús Corona, o meia pela esquerda. A movimentação de Corona é o ponto alto da estratégia mexicana. Ele sempre parte e volta da faixa central. Quando o time ataca, Corona abre pela direita, como um terceiro atacante. 




Na imagem acima, detalhe da linha ofensiva (em vermelho) e o triângulo do meio campo (amarelo) da seleção do México.



Os atacantes Herrera e Vuoso jogam paralelamente e se movimentam para a esquerda para atrair a marcação dos defensores e abrir espaço para a chegada de Corona pela direita. O ala Flores também pode aparecer pela direita e confundir um pouco mais a marcação adversária.

Bolívia no 4-2-3-1 com Marcelo Moreno como centroavante


O esquema tático da Bolívia é o 4-2-3-1. Na defesa, os dois laterais têm mais funções defensivas que ofensivas. Morales, o lateral esquerdo, se arrisca algumas vezes no campo ofensivo.



O meio campo da Bolívia tem dois volantes de marcação. Chumacero é mais técnico que Bejarano e ajuda a armar a equipe que carece de um jogador mais organizador. Campos, o meia central da linha de três do 4-2-3-1 boliviano é um jogador mais objetivo, com mais características de meia-atacante, que chega à frente para finalizar.

Pedriel (meia-atacante pela direita) e Smedberg-Dalence (meia-atacante pela esquerda) são os jogadores que apoiam Marcelo Moreno, centroavante, nas ações de ataque pelas beiradas do campo. Entretanto, são jogadores sem muita velocidade para jogar pelos lados e dão pouco volume ao ataque da seleção boliviana.

Abaixo, detalhe do posicionamento do ataque da seleção da Bolívia e da defesa mexicana na saída de bola.



Inscreva-se no nosso canal no YouTube.

Curta nossa página no Facebook.

Adicione no Google +.

Siga-nos no Twitter.

O que achou da análise? Comente abaixo.


Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas