ESTATÍSTICA. Contexto dos gols dos times na zona do rebaixamento. Campeonato Brasileiro



Neste texto, faremos a análise dos times que estão na zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro 2011. Com esta análise pretendemos dar uma luz sobre os problemas defensivos que esses times têm enfrentado até a 13ª rodada. É uma análise estatística parcial que levará em conta como esses times sofrem os gols. No quadro geral, incluímos o Atlético Goianiense porque seu aproveitamento (33,3%) está abaixo do Santos (36,%), primeiro time na zona do rebaixamento.

Clique na imagem para ampliar

Em geral, levar muitos gols em jogadas de ataque é um indício de que o sistema defensivo do time é fraco. Podemos ver que o Atlético Goianiense sofreu 57% dos gols nessa condição e o Santos, 50%. Todos os demais sofreram menos de 50% dos gols oriundos de ataques. O que é comum a todos os times é domínio absoluto de gols sofridos com a bola rolando. Vamos à análise de cada um deles.

Contexto dos gols



O Atlético-GO é quem mais leva gols a partir de faltas indiretas (14%), um sinal de que a defesa é fraca em jogadas aéreas. Mas, dos analisados, é quem menos sofre gols de contra-ataque (7%), o que mostra uma equipe que joga na defesa. A quantidade de gols oriundos de escanteios é alta (15%), mas não tão alta quanto a do Santos.



O Santos sofreu, até agora, 22% dos gols originados de jogadas de escanteio. Os gols com a bola rolando (ataque: 50% e contra-ataque: 11%) está dentro da média do Campeonato Brasileiro. A equipe sofreu 11% de gols de pênalti e 6% de faltas diretas (1 gol).



O Avaí levou 59% dos gols com a bola rolando, mas com o segundo menor índice a partir de ataques (42%) e 17% de contra-ataques. O que pesa contra o Avaí é o número absoluto de gols sofridos: 29. O maior entre os times que estão na zona do rebaixamento. O percentual dos gols pode, assim, mascarar as deficiências do setor defensivo.



O Atlético Paranaense chama a atenção pela quantidade de gols sofridos com a bola rolando: 76%. É um percentual altíssimo. Destes 76%, 28% dos gols foram de contra-ataques, o que dá mostras de uma equipe que procura o gol, mas não se recompõe adequadamente no setor defensivo. Ou seja, é um time que se lança ao ataque sem muitas preocupações defensivas. Faremos, em breve, uma análise separada por técnico para indicar os principais responsáveis por armar um time tão aberto. Também é preocupante o alto índice de gols de escanteios (21%). Ou seja, nem quando o time tem tempo para se posicionar defensivamente, o faz com competência.



Fechando os times na zona do rebaixamento, temos o segundo time que mais levou gols (26) entre os ameaçados. O América é quem menos leva gols de ataque (38%), mas mantém a média dos gols sofridos com a bola rolando (61%) quando somam-se os gols de contra-ataque (23%). O time levou 4% dos gols em faltas diretas, mas este número deve ser relativizado porque corresponde ao número absoluto de apenas um gol. Entretanto, o número mais preocupante são os gols sofridos a partir de cobranças de falta indireta. O América levou, até agora, 23% dos gols (6) dessa maneira, sinal claro de problemas no posicionamento da defesa.

Aguardem as próximas análises do Esquemas Táticos Estatísticas em que abordaremos de onde saem os gols, de onde originam-se as jogadas de gol e o momento em que são marcados os gols do Campeonato Brasileiro.

Visite o novo Esquemas Táticos Estatísticas. Levantamentos estatísticos e análises inéditas sobre campeonatos e times de todo o mundo. Veja todas as atualizações na página do Esquemas Táticos Estatísticas e também no Twitter @esquemastaticos.


Siga Esquemas Táticos no Twitter.









Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas