Universidad de Chile 0 x 2 Chivas Guadalajara. Análise tática. Copa Libertadores 2010

A Universidad de Chile perdeu para o Chivas Guadalajara por 2 a 0, no Estádio Nacional de Santiago, pela Copa Libertadores da América 2010. O Chivas está classificado para a final da competição. O esquema tático da Universidad de Chile foi o 4-4-2. O esquema tático do Chivas Guadalajara foi o 4-4-2.

Universidad de Chile



O esquema tático da "La U", ou "U de Chile", como os torcedores chilenos chamam o time da Universidade do Chile, foi o 4-4-2 com uma linha no meio-campo. O detalhe é que Montillo jogou como segundo-atacante, às vezes voltando para meio para começar as jogadas. No primeiro tempo, ficou mais pelo lado direito e teve um ótimo desempenho, criando boas chances, driblando e finalizando. Os marcadores do Chivas não o encontraram em campo. No segundo, foi recuado para o meio-campo e atuou como um meia centralizado e meia-esquerda, tendo uma atuação apenas regular. Bem marcado, não conseguiu criar; longe da área, não conseguiu finalizar.

A Universidad de Chile teve mais volume de jogo, mas não levou tanto perigo ao gol adversário quanto o Chivas.

No meio-campo, o time começou como Iturra como primeiro-volante pela esquerda, Seymour como segundo-volante pela direita e Puch como meia-esquerda. Uma indefinição do lado direito defensivo proporcionou duas ou três chances claríssimas de gol naquele setor, salvas pelo goleiro Miguel Pinto, que acabou falhando no primeiro gol. Contreras começou como um lateral-direito ofensivo, sendo coberto por Rodríguez, que iniciou a partida como um volante pela direita. Mas a estratégia do técnico Gerardo Pelusso abriu um buraco ocupado com eficiência por Omar Bravo, atacante do Chivas. Então, Pelusso fixou Rodríguez na lateral-direita e liberou Contreras para atuar como ala-direito. Como ele ficou muito preso à lateral do campo, no segundo tempo foi substituído pelo meia Rivarola, que começou a cair mais pelo centro do campo.

Aliás, no segundo tempo o esquema tático passou a ser o 3-6-1, ou 3-3-3-1, com uma linha de três meias-atacantes atrás do centroavante Olivera: Puch pela esquerda, Montillo pelo centro (caindo mais para a esquerda) e Rivarola pela direita. Seymour como segundo-volante pela direita, Ángel Rojas como volante de marcação à frente da defesa, Rodríguez como zagueiro pela esquerda, Victorino pelo centro e Iturra como zagueiro pela direita.

Chivas Guadalajara



O Chivas Guadalajara não teve o domínio do jogo, mas criou as melhores chances de gol na partida. Atuando no 4-4-2 com uma linha no meio-campo, o Chivas explorou bem o lado direito da defesa da Universidad de Chile com Omar Bravo. O primeiro gol, entretanto, saiu de jogada iniciada do outro lado, em um chute despretensioso de Báez que contou com a falha do goleiro Miguel Pinto da Universidad de Chile.

Com os laterais Magallón e Ponce presos no campo defensivo, o Chivas não abriu mão de seus dois atacantes até o final da partida. Os meias pelos lados da linha de meio-campo auxiliaram os atacantes Bravo e Bautista, que sempre iniciavam as jogadas a partir dos lados entrando em diagonal pelo centro. Os volantes Araujo e Mejía também ficaram presos no campo defensivo, principalmente Araujo.

No segundo tempo, o Chivas aproveitou-se do desespero do adversário e explorou os contra-ataques, mas voltou a perder muitos gols. Mesmo sem a posse de bola, controlou bem a partida e não correu riscos. O meia-esquerda Fabián e o atacante Bravo foram os destaques do Chivas no jogo. Os zagueiros Reynoso e De Luna foram muito seguros e impediram que os jogadores da Universidad de Chile penetrassem na área.

O Chivas vai para a sua primeira final de Libertadores e, mesmo que seja o campeão, não poderá disputar o Mundial Interclubes da Fifa. De acordo com o regulamento da Copa Liberadores, os times mexicanos devem conseguir suas vagas para o Mundial no torneio de clubes da Concacaf, que reúne times da América do Norte e América Central.

Leia também:

São Paulo 2 x 1 Internacional. Análise tática. Copa Libertadores 2010.

Vélez Sarsfield 2 x 0 Chivas. Análise tática. Copa Libertadores 2010.

Cruzeiro 0 x 2 São Paulo. Análise tática. Copa Libertadores 2010.

Esquema tático do Internacional. Jogo contra o Banfield. Copa Libertadores 2010.

Mande o link desta análise para o seu twitter.






Bookmark and Share


Siga Esquemas Táticos no Twitter.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

Soham disse...

Gostei da ousadia do Chivas, que desafiou o fator campo e foi ao ataque desde o início. Acho que a torcida de "La U" merece um time melhor do que esse que se apresentou ontem. Que festa nas arquibancadas!

Legal a postagem. Confere aí que você acabou colocando a imagem da formação dos times abaixo do sub-título da outra equipe (não sei se foi proposital, a legenda embaixo está certinha).

Abraços, visite também www.jogadadefeito.blogspot.com

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas