Espanha 1 x 0 Portugal. Análise tática. Copa do Mundo 2010

A Espanha venceu Portugal por 1 a 0, no Green Point Stadium na Cidade do Cabo, pelas oitavas-de-final da Copa do Mundo da África do Sul 2010. O esquema tático da Espanha foi o 4-2-3-1. O esquema tático de Portugal foi o 4-1-4-1.

Espanha



A Espanha entrou em campo no seu tradicional 4-2-3-1 e, com toques de primeira, envolveu a seleção portuguesa no meio-campo. A seleção espanhola teve alguma dificuldade para vencer a retranca portuguesa porque comete um erro fatal: afunila muito o jogo. Vale ressaltar que, contra Portugal, o técnico Vicente Del Bosque procurou alguns antídotos. Para evitar a marcação dos centrais portugueses, Torres caía pela direita. Vindo mais de trás, Villa abria pela esquerda. Só não funcionou melhor porque Torres está mal física e tecnicamente. No segundo tempo, Llorente fez um papel melhor como centroavante.

Iniesta entrava em diagonal pelo centro para tabela com Xavi e abria espaço para as subidas de Sergio Ramos pela direita. O lateral do Real Madrid, contudo, só cruza da intermediária e não vai à linha-de-fundo. A troca de passes entre Iniesta, Xavi, Xabi Alonso e Villa é envolvente. Eles dão, no máximo, dois toques na bola. Como é feito, aliás, no Barcelona. Entretanto, as tabelas curtas são, muitas vezes, pouco verticais. Ou seja, mantêm a posse de bola e, não necessariamente, criam perigo ao gol adversário. Um, digamos, excesso de preciosismo.

Mas não se enganem. Mesmo com essa troca de passes laterais excessiva, muitas oportunidades são criadas. Contra Portugal, foram 19 chutes a gol, sendo 10 no alvo. Já é muita coisa. Poderiam ser criadas muitas mais, tornando a seleção espanhola uma equipe quase imbatível.



Na segunda etapa, o técnico Vicente Del Bosque não modificou o desenho tático de sua equipe, mas promoveu Llorente para o lugar de Fernando Torres. Llorente deu mais peso ao ataque espanhol. Ele fez, e muito bem, a função de pivô para os meias espanhóis que vinham de trás. Talvez Del Bosque tenha encontrado uma arma contra equipes retrancadas.

A Espanha realizou um jogo excelente, de muita técnica e habilidade. Confirma sua condição, pré-Copa, de candidata ao título.

Portugal



Portugal repetiu o esquema tático utilizado contra o Brasil na fase de grupos, o 4-1-4-1, com modificações: Hugo Almeida como centroavante e Cristiano Ronaldo e Simão pelos lados da linha de meio-campo. Aparentemente, a formação com Hugo Almeida no ataque seria mais ousada, já que, contra o Brasil, Cristiano Ronaldo jogou isolado na frente. Desta vez, ele e Simão poderiam chegar à frente para auxiliar o centroavante. Não foi o que ocorreu. Cristiano Ronaldo tentou, mas preso no lado direito do meio-campo (ele trocou algumas vezes de lado com Simão, mas ficou principalmente pela direita), recebeu a marcação de Capdevilla e Xabi Alonso de um lado ou de Sergio Ramos e Busquets do outro. Ficou encaixotado pelo esquema do técnico Carlos Queiróz.

Aliás, as formações adotadas por Queiróz, e as limitações técnicas do time, prejudicaram muito o desempenho de Cristiano Ronaldo nessa Copa. O time marca bem, mas não tem contra-ataque porque os passes não saem com qualidade. A opção por Ricardo Costa pela direita da defesa deveu-se à presença de Villa por aquele lado. A opção por Pepe como volante destrutivo e os dois volantes/meias pela faixa central (Raul Meireles e Tiago) melhora a marcação sobre o habilidoso meio-campo espanhol. Quando soma-se tudo, tem-se um time bom na marcação (tanto que levou apenas um gol em todo o Mundial), mas ruim de passe. É uma escolha.



No segundo tempo, quando o jogo ainda estava 0 a 0, Carlos Queiróz mostrou que não queria ganhar a partida. Tirou o centroavante Hugo Almeida e colocou Danny, um meia-atacante, pela esquerda e deslocou Cristiano Ronaldo para a posição de atacante solitário. Repetiu o que tinha dado certo contra o Brasil. Entretanto, esse era um jogo eliminatório. Queiróz errou.

Voltou a errar quando, já perdendo por 1 a 0, colocou Liedson no lugar de Simão. Se tinha alguma ambição, deveria ter colocado o centroavante no lugar de um volante. Mas ele preferiu ser precavido e trocou um volante de contenção (Pepe) por outro (Pedro Mendes). Tudo bem que Pedro Mendes tem um passe mais qualificado e Pepe está voltando de contusão. Naquele momento, contudo, Portugal precisava empatar ou virar a partida, não segurar o 1 a 0 contra.

Destaque para Fábio Coentrão, que fez uma Copa excelente tanto na marcação quanto no apoio, e para os centrais, principalmente Bruno Alves.

Análise tática das seleções da Copa do Mundo 2010

Paraguai 0(5) x (3)0 Japão. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Brasil 3 x 0 Chile. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Holanda 2 x 1 Eslováquia. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Argentina 3 x 1 México. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Alemanha 4 x 1 Inglaterra. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Estados Unidos 1 x 2 Gana. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Uruguai 2 x 1 Coreia do Sul. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Brasil 3 x 1 Costa do Marfim. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Inglaterra 0 x 0 Argélia. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

África do Sul 0 x 3 Uruguai. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

França 0 x 2 México. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Espanha 0 x 1 Suíça. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Honduras 0 x 1 Chile. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Brasil 2 x 1 Coreia do Norte. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Costa Marfim 0 x 0 Portugal. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Itália 1 x 1 Paraguai. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Japão 1 x 0 Camarões. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Holanda 2 x 0 Dinamarca. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Alemanha 4 x 0 Austrália. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Sérvia 0 x 1 Gana. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Argélia 0 x 1 Eslovênia. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Inglaterra 1 x 1 Estados Unidos. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Argentina 1 x 0 Nigéria. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

Coréia do Sul 2 x 0 Grécia. Copa do Mundo 2010. Análise tática.

Uruguai 0 x 0 França. Análise tática. Copa do Mundo 2010.

África do Sul 1 x 1 México. Copa do Mundo 2010. Análise tática.

Ouça podcasts com análises de especialistas entrevistados pela Rádio Esquemas Táticos.

Rádio Esquemas Táticos. Bate-papo com Tim Vickery, da BBC de Londres e da Sports Illustrated. Tema: Principais seleções da Copa 2010.

Rádio Esquemas Táticos. Bate-papo com André Rocha, do GloboEsporte.com. Tema: principais seleções da Copa 2010.

Rádio Esquemas Táticos. Bate-papo com Robert Sweeney. Tema: seleções sulamericanas na Copa 2010.

Rádio Esquemas Táticos. Bate-papo com Hugo Albuquerque sobre o Campeonato Brasileiro 2010.

Mande o link desta análise para o seu twitter.






Bookmark and Share


Siga Esquemas Táticos no Twitter.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

rique disse...

Concordo com suas observações mas alguns jogadores portugueses não apresentarão o mesmo futebol de algumas partidas anteriores como o R.Meireles que passou bem a bola e aparecia no ataque Thiago nem sequer arriscou dois chutes Pepe nada fez F.Coentrão jogou bem o primeiro tempo mas como a equipe se encolheu acabou se limitando a marcar R.Costa não apoia o ataque Simão e C.Ronaldo se esconderão do jogo que nem nos comentarios se ouvia o nome deles e de quebra o tecnico portugues ainda tirou o H.Almeida o unico que tentou levar perigo ao gol da espanha resumindo Portugal permitiu a Espanha jogar.
Vlw abraços gostei muito dos seus esclarecimentos.

Eduardo Junior disse...

Olá Marcelo, eu só queria te avisar da mudança de endereço do meu blog, o Europa Football, que antes era http://europafootball.blogspot.com/, agora, é http://blig.ig.com.br/europafootball/, se não for pedir muito, atualize ali na lista de links, obrigado pela atenção.

Eduardo Maretti disse...

Muito boas as análises táticas. Agora, com Coentrão fazendo ou não "uma Copa excelente" (de fato fez), ainda bem que a seleção de Portugal já foi devidamente despachada. Que timinho chato! Nem precisando ganhar o jogo deles muda. E o tal Cristiano Ronaldo. Que sujeitinho egocêntrico. Se jogasse uma bola do tamanho do ego e da arrogância, seria melhor que Pelé.

E, sei não, mas esse jogo com a Holanda vai ser muuuito problemático para o time de Dunga.

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas