Esquema tático do Palmeiras

Mande o link desta análise para o seu twitter.


No jogo em que empatou com o Sport em 2 a 2, pela 35ª rodada do Campeonato Brasileiro 2009, o esquema tático do Palmeiras foi o 3-5-2 no primeiro tempo (desenho abaixo) e o 4-3-3 na segunda etapa (segundo gráfico).

Análise tática



A defesa do Palmeiras teve Danilo como zagueiro pela direita, Edmílson pelo centro e Maurício pela esquerda. Edmílson desempenhou a função dupla de zagueiro e volante recuado. Ele fez a sobra de Maurício e Danilo e também fez a saída de bola do time. Quando o Palmeiras atacava, e os volantes Souza e Sandro Silva avançavam, Edmílson aparecia como o volante de contenção. Quando atacado, Edmílson postou-se como o zagueiro da sobra na defesa Palmeirense. Com alguma frequência, Maurício (principalmente) e Danilo apareciam como autênticos laterais e apoiavam pelos lados.

O meio-campo teve Souza e Sandro Silva como volantes. Eles apoiavam o ataque alternadamente, dando volume ao meio-campo palmeirense, mas sem muita efetividade. Os alas Figueroa (direita) e Armero (esquerda) atuaram de maneira bastante ofensiva, sendo cobertos pelos zagueiros Maurício (esquerda) e Danilo (direita). Diego Souza foi o meia-atacante centralizado, por vezes aparecendo pelos lados do ataque.

Ataque que foi formado por Obina e Ortigoza. Obina mais fixo na área e Ortigoza saindo mais para buscar o jogo. Como o Sport fez o primeiro e o segundo gols ainda no início do primeiro tempo, logo Diego Souza postou-se mais como um atacante livre, circulando por todo o setor. Pode-se perceber, portanto, que o time ficou sem armador.

No segundo tempo, o técnico Muricy Ramalho modificou todo o desenho do time com reposicionamentos e substituições. Edmílson foi fixado como volante ao lado de Pierre e time passou a atuar com dois zagueiros. Armero e Figueroa passaram a ser laterais, mas continuaram bem ofensivos. Deyvid Sacconi passou a ser o armador centralizado, atuando à frente dos volantes.



Num primeiro momento, Diego Souza foi definitivamente efetivado como terceiro atacante. Mais tarde, Muricy colocou Marquinhos (saiu Edmílson) como ponta esquerda, bem aberto, e o time assumiu o esquema 4-3-3. Ortigoza ficou pela direita e Obina pelo centro. Diego Souza passou a ser o armador, sendo apoiado por Deyvid Sacconi um pouco mais recuado, mas chegando à frente. Sacconi passou a ser o segundo volante pela direita, mais adiantado que Pierre, primeiro volante pela esquerda.

Leia também:

São Paulo 0 x 0 Palmeiras. Análise tática.

Esquema tático do Grêmio. Jogo contra o Atlético Mineiro.

Esquema tático do Palmeiras. Jogo contra o Avaí.

Avaí 0 x 3 Palmeiras. Análise tática.

Esquema tático do Palmeiras. Copa Libertadores. Análise tática.

Palmeiras 1 x 1 Nacional-Uru. Análise tática.

Nacional-Uru 0 x 0 Palmeiras. Análise tática.

Sport 1 x 0 Palmeiras. Análise tática.

Internacional 2 x 0 Palmeiras. Análise tática.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

Anônimo disse...

Cara vc é muito bom continue com seu trabalho q vc vai longe. vc está inovando pois este é o único site q fala sobre tacticas dos times forma correcta
Minhas felicitacções!!!

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas