Barcelona 2 x 0 Internazionale. Análise tática

O Barcelona venceu a Internazionale de Milão por 2 a 0 no Camp Nou, em Barcelona, pela 5ª rodada da fase de grupos da Uefa Champions League. O esquema tático do Barcelona foi o 3-5-2 na maior parte do jogo. O esquema tático da Internazionale de Milão foi o 4-1-3-2, predominantemente.

Barcelona



No primeiro tempo, o Barcelona não atuou no seu já tradicional 4-3-3, mas num 3-5-2. É certo que, durante o segundo tempo — e algumas vezes no primeiro —, foram observados outros desenhos táticos como o 4-3-3 e até o 3-4-3. Entretanto, o 3-5-2 foi o esquema predominante.

Na defesa, Piqué jogou como defensor pela direita, Puyol pelo centro e Abidal pela esquerda. Abidal não foi lateral, mas um zagueiro, tal como atua na seleção francesa.

No meio-campo, Keita foi o ala/volante pela esquerda, mais adiantado que o volante Busquets; Daniel Alves foi o ala-direito e, por vezes, aparecia como ponta. Sergio Busquets foi o volante de marcação pelo centro. A sua frente, Xavi pela direita e Iniesta pelo centro, mas deslocando-se para os dois lados do meio-campo.

Na frente, Henry pelo centro do ataque e Pedro Rodríguez como atacante pela esquerda. Guardiola aproveitou-se do fato de Maicon avançar muito pela direita e colocou Pedro para prendê-lo no campo defensivo. Sem Messi, Guardiola não colocou Iniesta na ponta direita, como se poderia imaginar, mas solto no meio-campo. Isso deixou o lateral-direito Chivu, que é muito defensivo, e Stankovic (volante pela esquerda) praticamente sem função.



No segundo tempo, Xavi foi recuado para atuar, ao lado de Busquets, como volante-armador. Iniesta foi adiantado para a ponta direita, Daniel Alves foi recuado para a lateral direita (mas com liberdade para avançar como ponta quando o time atacava). Já no final do jogo, Bojan entrou como centroavante e Henry foi deslocado para a esquerda.

Internazionale de Milão



No primeiro tempo, o técnico José Mourinho armou sua equipe no 4-3-1-2. Normalmente, Mourinho arma a Inter no 4-4-2 em losango, no 4-1-4-1, no 4-1-3-2 e no 4-3-3. Entretanto, se a intenção era armar o time com um losango no meio-campo, a marcação sob pressão do Barcelona no campo adversário não permitiu.

Assim, a defesa formou com Maicon pela lateral direita, Lúcio como defensor pela direita, Samuel pela esquerda e Chivu pela esquerda. Como dissemos na análise do Barcelona, Chivu ficou sem função porque o time catalão atuou sem ponta pela direita e Daniel Alves vinha muito de trás. Se Chivu o acompanhasse, deixaria um buraco na linha defensiva. Maicon subiu pouco ao ataque no primeiro tempo e um pouco mais no segundo, mas preocupou-se mais em marcar Pedro.

No meio-campo, Cambiasso foi o primeiro volante de marcação. A sua frente, Zanetti como volante pela direita, Stankovic como volante pela esquerda e Thiago Motta como meia pelo centro. O meio-campo da Internazionale não andou. Todos são volantes de contenção e não conseguiram dar fluidez ao jogo da Inter. Tanto que Mourinho modificou suas peças e seu desenho no segundo tempo.

No ataque, Eto'o e Milito foram os atacantes, jogando paralelamente. Como a bola pouco chegou a eles, não puderam fazer muita coisa no primeiro tempo.



No segundo tempo, Cambiasso saiu para a entrada de Muntari e, com isso, Stankovic passou a ser o volante de marcação pelo centro, Muntari o meia/volante pela esquerda e Zanetti continuou a ser um volante pela direita. A manutenção de Zanetti teve como intenção dar cobertura às subidas de Maicon e conter o ataque do Barcelona naquele setor. Por outro lado, Muntari poderia aproveitar-se dos avanços de Daniel Alves. Mas Muntari não foi bem na partida e, na metade da segunda etapa, Stankovic saiu para a entrada de Balotelli. Thiago Motta ocupou a posição de Stankovic como volante centralizado.

O ataque passou a ter três jogadores. Inicialmente, Balotelli ocupou o ataque pela direita, Eto'o pelo centro e Milito pela esquerda. Depois, os atacantes passaram a trocar de posição e Quaresma entrou no lugar de Milito. O esquema tático passou a ser o 4-3-3, variando para o 4-2-2-2.

Leia também:

Liverpool 2 x 2 Manchester City. Análise tática.

Everton 0 x 2 Benfica. Análise tática.

Milan 1 x 1 Real Madrid. Análise tática.

Milan x Real Madrid. Análise tática em tempo real.

Real Madrid 2 x 3 Milan. Jogo em Madri.

Chelsea 2 x 0 Liverpool. Análise tática.

Sporting 1 x 0 Hertha Berlin. Análise tática.

AEK Atenas 1 x 0 Benfica. Análise tática.

Bayern de Munique 0 x 0 Juventus. Análise tática.

Arsenal 2 x 0 Olympiacos. Análise tática.

Barcelona 2 x 0 Dínamo Kiev. Análise tática.

Esquema tático do Manchester City.

Esquema tático do Lyon.

Esquema tático do Borussia Dortmund.

Esquema tático do Bayern de Munique.

Borussia 1 x 5 Bayern. Análise tática.

Roma 1 x 3 Juventus. Análise tática.

Esquema tático do Chelsea.

Manchester United 2 x 1 Arsenal. Análise tática.

Milan 0 x 4 Internazionale de Milão. Análise tática.

Esquema tático do Milan. Jogo contra o Siena.

Esquema tático da Internazionale de Milão. Jogo contra o Bari.

Esquema tático do Barcelona.

Esquema tático do Shakhtar Donetsk.

Esquema tático do Real Madrid. Jogo contra o Rosenborg.

Esquema tático do Real Madrid com Kaká e Cristiano Ronaldo.

Esquema tático do Wigan.

Esquema tático do Liverpool.

Esquema tático do Tottenham.

Esquema tático do Atlético de Madrid.

Mande o link desta análise para o seu twitter.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

1 comentários:

Rasangui disse...

O 45 é o BALOTELLI.E não o Cambiasso,como no último esquema!

De Resto,tudo certo,e bem analisado,parabéns.

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas