Esquema tático do Atlético Mineiro. Jogo contra o Grêmio

O Atlético Mineiro perdeu para o Grêmio por 4 a 1 no Olímpico, em Porto Alegre, pela vigésima rodada do Campeonato Brasileiro jogando no 4-4-2 na maior parte do jogo. O Atlético iniciou a partida no 4-3-1-2, mas com a contusão do lateral-direito Marcos Rocha, Carlos Alberto foi deslocado para a posição e Evandro entrou no meio-campo.

Análise tática

O técnico Celso Roth trocou o 3-5-2 utilizado pelo time contra o Flamengo e utilizou o 4-4-2, com um quadrado no meio-campo.

Na defesa, Carlos Alberto foi o lateral-direito, Welton Felipe o zagueiro pela direita, Alex Bruno o zagueiro pela esquerda e Thiago Feltri o lateral-esquerdo. Os laterais apoiaram o ataque com frequência e os zagueiros falharam nas bolas aéreas, a especialidade do Grêmio. Os volantes também não protegeram devidamente a defesa.



No meio-campo, o time foi armado num quadrado, com dois volantes marcadores e dois meias. Os volantes Jonílson (esquerda) e Renan (direita) não foram muito eficientes na marcação dos meias gremistas e deixaram a zaga exposta. Os meias Renan Oliveira (esquerda) e Evandro (direita) não foram felizes na criação de jogadas. A entrada de Evandro, mais armador, em tese melhoraria a criação no meio, já que Renan Oliveira é meia-atacante e conduz muito a bola.

No ataque, Diego Tardelli e Éder Luís trocaram de lado frequentemente, mas não receberam muitas bolas e, quando receberam, foram pouco eficientes. No segundo tempo, Rentería entrou no lugar de Éder Luís e melhorou a qualidade no setor. Mas os erros de passe entre meio-campo e ataque continuaram, obrigando os atacantes a, muitas vezes, voltarem para tentar armar as jogadas.

Leia também:

Todas as análises sobre o Atlético Mineiro.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

Anônimo disse...

Na verdade, o Galo entrou um 4-3-1-2.
Os volantes eram Renan, Jonilson e Carlos Alberto. Quando o Marcos Rocha sofreu lesão, Evandro entrou e Carlos Alberto foi para a direita.

* Seu site é otimo. Será que o segredo da vitória está na tática?
Alexandre

Esquemas táticos disse...

Olá Alexandre, tudo bem?

Você tem razão. Troquei as bolas e coloquei o número do Carlos Alberto e o nome do Marcos Rocha. Já corrigi o desenho. Obrigado.

Quanto ao esquema, realmente o Atlético entrou no 4-3-1-2, mas como jogou na maior parte do tempo no 4-2-2-2, com a entrada de Evandro, e como eu fiz apenas um desenho tático para representar, optei pela formação que ficou mais tempo em campo.

Não acho que a tática é o único nem o principal fator que leve um time à vitória. Existem outros fatores tão ou mais importantes como a qualidade técnica dos jogadores, a garra, a sorte etc.

Obrigado pelo elogio e volte sempre.

Abraços,

Marcelo Costa.

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas