Esquema tático do Internacional



O Internacional jogou num 4-3-1-2 contra o Flamengo na Copa do Brasil. O destaque do time é o trio ofensivo, formado por D'Alessandro, Taison e Nilmar. Dos três volantes, um deles (Magrão) também atua como meia. O lateral-direito foi Bolívar que, embora seja um zagueiro, atuou como autêntico lateral: defendendo e apoiando pela direita.

Análise tática

A defesa do Internacional formada por Bolívar (zagueiro, mas que jogou como lateral-direito), Índio (zagueiro pela direita), Álvaro (zagueiro pela esquerda) e Kléber (lateral-esquerdo) tem, à sua frente, dois volantes marcadores (Guiñazu pela esquerda e Sandro pela direita), que jogam paralelamente. Magrão, o terceiro volante, também atua como meia e fica um pouco à frente, e levemente à direita, dos outros dois.

A parte ofensiva do time conta com D'Alessandro como meia-armador, Taison pela esquerda e Nilmar pela direita, formando um triângulo. Os três formam o mais badalado setor do Internacional, que também conta com jogadores importantes e/ou com boa qualidade técnica como Kléber, Guiñazu e Magrão.

Esse trio sobrecarrega muito o setor defensivo do time, o que é normal num time que opta por ter um ataque forte. Em alguns times europeus (como o Chelsea, Arsenal e Manchester), muitas vezes cobra-se do atacante um recuo até o meio-campo, quando o time perde a bola, para ajudar na marcação. Mas não é regra. No Barcelona, por exemplo, os atacantes voltam pouco.
Share on Google Plus

Sobre Esquemas Táticos

Marcelo Costa, jornalista e mestre em Sociologia. Editor do site Esquemas Táticos e do Esquemas Clássicos (www.esquemasclassicos.blogspot.com).
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

Rafael Andrade disse...

Olá, olha o Bolivar na verdade vem atuando nessa faixa do campo já há um certo tempo, desde o brasileiro do ano passado, quando o Tite não tinha boas opções para esse setor e acabou optando por improvisa-lo ali. E no Arsenal, ao contrário do que você diz, não se tem essa cobrança para que o atacante recomponha o meio quando se está sem a bola, o Adebayor (ou o Bendtner quando o togoles está fora) não ajudam na marcação em momento algum. No mais, conheci o seu blog hoje e estarei aqui com mais frequencia para debatermos melhor esses esquemas. Valeu! Ahh, te peço também que passe pelo meu blog.

Anônimo disse...

O kleber mesmo com toda a liberdade propiciada não apoia, Guinazu e Magrão sairam muito pouco pro jogo, DAlessandro e Taison foram totalmente anulados,assim sobrou um Nilmar isolado.Flamengo marcou muito bem o Inter.

Marcos Gaucho

Esquemas táticos disse...

Marcos,

a marcação flutuante dos volantes-zagueiros (Toró e Willians) do Flamengo anulou completamente o trio de ataque do Inter.

Rafael,

no caso dos times europeus, geralmente apenas um atacante não tem a obrigação de marcar: o atacante de referência. Adebayor no Arsenal, Drogba no Chelsea etc. Mas não é regra. No Manchester todos voltam, no Barcelona ninguém volta, nos times médios e pequenos da Itália todos voltam e assim vai. Valeu a observação. Abraços.

NEWSLETTER DO ESQUEMAS TÁTICOS

Receba a Carta Tática, Newsletter do site Esquemas Táticos com atualizações e informações exclusivas gratuitas